Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

agoravejoassim

agoravejoassim

Em nome do Pai, o Filho, recebe o Espírito Diabólico...

ibc_1_11567.jpg

FullSizeRender (4).jpg

 

 

Não creio que a retaliação seja a resposta mais inteligente e coerente. Se num mundo em que um dos principais pilares de suporte é a Justiça, o mesmo não deveria ser fragilizado de forma tão primitiva e inata. Apesar de relatarem que a acção é sobre bases militares, inocentes sofrem pelo simples facto de terem vindo ao mundo onde o erro é pura e simplesmente geográfico, riquíssimo em recursos naturais, abundantes de desejo e inveja decidida desumanamente por outros povos e potências económicas. Muhammed João Antonio dos Santos Bush, teve a sorte de estudar num país onde nenhum dos critérios existentes na sua terra natal predominam, graças a Deus, no entanto o seu colega de quarto, François, que concluiu igualmente com mérito a sua formação universitária, após o mesmo conseguiu uma entrevista de emprego à qual se teve de sujeitar a deixar para trás os cabelos compridos e piercing no nariz, que belas memórias e identidade lhe acolhiam no âmbito de felicidade pessoal. Porém, conseguiu o emprego, finalmente nova vida/rumo se avizinham, apesar de tudo, François apercebe-se que há uma nova etapa, uma luz que atravessa a Torre Eiffel no mercado competitivo de Paris. O seu companheiro, agora só, num quarto, onde o âmbito académico perde o sentido, em que todos à sua volta seguem a sua estrada, a ele resta-lhe o regresso ao impossível ou a continuidade num mundo em que o corte de cabelo não chega e por mais que se esforce nada será suficiente, iludido com esperança numa oportunidade que já estava condenada à partida. Via e-mail, Muhammed recebe a notícia de que o seu irmão foi morto a tiro, na sua terra natal, seu pai agora refém, terá o mesmo fim caso as indicações dadas não sejam executadas,por razões das quais já se desligou e finalmente começava a esquecer. A única luz que vê, é a da revolta, invocando nela o seu nome principal, então sente que a razão da mudança é a mesma da afirmação e que apenas a segunda lhe resta para dar algum sentido à sua existência. 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D